Todos os posts em: Belém

Você só vai encontrar no Pará! #Parte4

Não para não, vem cá me dá a sua mão Quero que sinta toda essa emoção. Cavalo manco agora eu vou te ensinar Isso e muito mais você só vai encontrar no Pará. Trecho da música “Dançando Calypso”, da banda Calypso.  … Éeeeeeegua, essa música não é exagero! O Pará é um mundo à parte dentro do Brasil e tem uma infinidade de coisas que você realmente só encontra lá. Visitar Belém é um convite a conhecer, se apaixonar e se deixar levar por essa experiência gastronômica e cultural incrível. Chegamos ao nosso último dia na cidade! Ahhhhhh =( (Você já leu o que fizemos no primeiro, segundo e terceiro dias por lá?) Nesse post você vai ler sobre: um doce passeio na Ilha do Combu, o Centro de Cultura Alimentar Iacitatá, o tradicional biscoito Monteiro Lopes, a deliciosa unha de caranguejo da Casa Camilo e o famoso tacacá da Dona Maria. Bora! … Ilha do Combu Lembra do Médici, o meu amigo que foi nosso guia gastronômico em Belém (falei mais sobre ele no primeiro …

Pelas ruas de Belém #Parte3

“Chamou Pavulagem, vaqueiro! Terra vai tremer!” Lá vem meu boi, lá vem Pelas ruas de Belém! Trecho da música “Reunida”, da banda Arraial do Pavulagem.  … Tanta coisa pra ver em Belém… em tão poucos dias! O jeito é aproveitar cada minuto! Nesse post você vai saber tudo que fizemos em nosso terceiro dia na animada Belém! Vai ter a feira de artesanato na Praça da República, o Arraial do Pavulagem, a Basílica Nossa Senhora de Nazaré, o restaurante Remanso do Peixe, o Bosque Rodrigues Alves, o Parque Estadual do Utinga e o restaurante Lá em Casa! (Se você não leu os outros posts de Belém, clique aqui para o primeiro dia e aqui para o segundo) 😉 … Praça da República Manhã de domingo: é dia de feira na Praça da República! É aquela típica feira que tem na maioria das cidades, com artesanatos regionais, roupas, antiguidades e comidinhas. Nesse tipo de lugar, pra mim, as bancas de comida sempre são o destaque, e em Belém é ainda melhor: sucos de diversos sabores e muitas …

A Belém dos meus encantos #Parte2

“Lá vem Belém, a Belém dos meus encantos, dos terreiros, Mães de Santo, das crendices, do pajé. E vem que vem, com sobrados de azulejo, vigilengas, Ver-o-Peso, na enchente da maré.” Trecho do poema “A Belém dos meus encantos”, de Sylvia Helena Tocantins. … Hoje vou contar tudo que fizemos em nosso segundo dia na capital paraense (para ler a primeira parte do tour, clique aqui). Nesse post você vai ler sobre: Mercado Ver-O-Peso, Praça Dom Frei Caetano Brandão, Tacacá A Portinha, Mangal das Garças e Remanso do Bosque. Vem! Mercado Ver-o-Peso Começamos o segundo dia visitando o lugar que eu mais queria conhecer em Belém: o mercado Ver-o-Peso. A história do Ver-o-Peso iniciou em 1925, no antigo Porto do Pirí. Inicialmente era apenas um posto de aferição de mercadorias, a Casa de “Haver o Peso”, já que Belém era o maior depósito comercial da região. Em 1899, iniciou a construção do Mercado de Ferro (atualmente o Mercado de Peixe), e em 1901 ele foi inaugurado, tornando-se um dos mercados públicos mais antigos do Brasil. O conjunto arquitetônico e …

Só Belém me conquistou assim! #Parte1

Manu, Estamos numa paradinha pra cortar canarana da margem pros bois de nossos jantares. Amanhã se chega em Manaus e não sei que mais coisas bonitas enxergarei por este mundo de águas. Porém me conquistar mesmo a ponto de ficar doendo no desejo, só Belém me conquistou assim. Meu único ideal de agora em diante é passar uns meses morando no Grande Hotel de Belém. O direito de sentar naquela terrace em frente das mangueiras tapando o teatro da Paz, sentar sem mais nada, chupitando um sorvete de cupuaçu, de açaí. Você que conhece mundo, conhece coisa melhor do que isso, Manu? (…) Belém eu desejo com dor, desejo como se deseja sexualmente, palavra. Não tenho medo de parecer anormal pra você, por isso que conto esta confissão esquisita mas verdadeira que faço de vida sexual e vida em Belém. Quero Belém como se quer um amor. É inconcebível o amor que Belém despertou em mim… Um abraço do Mário. Mário de Andrade (Carta escrita ao poeta Manuel Bandeira durante viagem à Amazônia, em 1927) …