Posts recentes

Receitas de Viagem #1: cookies de Nova York

NOVIDADE NO SPDV!!!

A partir de agora teremos um novo “quadro” por aqui, chamado RECEITAS DE VIAGEM. ❤️

Vou compartilhar com vocês algumas das receitas que aprendi em cursos durante minhas viagens, ou que pesquisei depois que comi algo que gostei muito.

Eu e os cookies

Novo quadro no SPDV: Receitas de Viagem | Crédito da foto: Saturno Filmes

Os cookies da Levain Bakery

A primeira receita que vou ensinar é uma criação minha inspirada no cookie alto, fofinho e cheio de chocolate e nozes que comi na Levain Bakery, em Nova York. NHAM! 🤤

928

Os deliciosos cookies da Levain Bakery

Eu costumava fazer cookies fininhos, mas depois de provar os da Levain eu fui testando váaarias receitas até chegar nessa que eu amo demais. Lá vai:

Receitas de Viagem #1: o cookies novayorkinos

Para essa receita você vai precisar de:

Cookie ingredientes

Ingredientes | Crédito da foto: Saturno Filmes

125g de manteiga sem sal em temperatura ambiente
1/2 xícara de açúcar
½ xícara de açúcar mascavo
1 ovo
2 xícara de farinha de trigo
1 colher de chá de fermento químico em pó
1 colher de chá de essência de baunilha
1 pitada de canela e 1 pitada de noz moscada
3 barras de chocolate picado (eu coloco uma ao leite, uma de chocolate branco, e uma de meio-amargo)

Cookie - chocolates

Três chocolates | Crédito da foto: Saturno Filmes

150g de nozes tostadas na frigideira e picadinhas (se não gostar de nozes não precisa colocar)

🍪 MODO DE PREPARO

Em uma batedeira misture a manteiga, o açúcar, o açúcar mascavo e a essência de baunilha até formar uma pasta lisa.

Cookie - essencia de baunilha

Dá-lhe essência de baunilha!| Crédito da foto: Saturno Filmes

Depois, incorpore o ovo e bata mais um pouquinho.

Em seguida, a farinha, a canela e a noz moscada.

Tire da batedeira e adicione o fermento, o chocolate picado e as nozes.

Com tudo misturado, forme um cilindro (tipo uma salsicha grossa), envolva em plástico filme e leve à geladeira.

Quando a massa endurecer, corte em rodelas e molde em bolinhas altas.

Cookies - cortando a massa

Cortando a massa em rodelas | Crédito da foto: Saturno Filmes

Cookie - formando bolinhas

Bolinhas prontas para ir para o forno | Crédito da foto: Saturno Filmes

Leve ao forno pré-aquecido a 200°C por cerca de 20 minutos, até dourarem e ficarem nesse formato das fotos abaixo (fique de olho pra não queimar embaixo).

Ah, quando os cookies saírem do forno eles estarão um pouco moles ao centro, mas é só deixar ventilando um pouco em uma gradezinha que ele dá uma secada – mas, ainda assim, continua macio. 🤤

Cookies de chocolate prontos

Cookies descansando | Crédito da foto: Saturno Filmes

TCHARAAAM!

Está pronto o cookie mais fofinho e delicioso, aprovado por 100% das pessoas que já comeram. 😋😋😋

Cookies prontos

Cookies prontinhos | Crédito da foto: Saturno Filmes

E aí, curtiu a ideia dessa série de posts?

Se fizer essa receita me conta o que achou, tá? 🙂

 

* 📸 Todas as fotos desse post foram feitas pelos queridos Henrique e Carol da Saturno Filmes, na minha casa mesmo. ❤️

Todas as receitas serão publicadas em primeira mão no meu perfil no Instagram. Me segue por lá! 😉

Caminhos de Pedra: conheça o Parque da Ovelha

Já fui ao Parque da Ovelha duas vezes e esse é um passeio que gosto bastante e que recomendo fortemente pra quem vai à região dos vinhedos com crianças. Entre uma vinícola e outra, você tem a oportunidade de participar de uma experiência única!

Nesse post vou contar quais são as principais atrações do Parque da Ovelha. 🙂

Casa da Ovelha

O casarão construído em 1917 é a porta de entrada da Casa da Ovelha, propriedade que une fazenda, loja, laticínio e o Parque da Ovelha. Por lá vivem 650 ovelhas da raça francesa Lacaune, e cada uma produz cerca de dois litros de leite por dia.

FUN FACT: esse casarão originalmente era localizado no terreno ao lado. Como o proprietário mostrou interesse em destruir a casa para construir uma nova em seu lugar, o empresário Tarcisio Michelon (proprietário da rede Dall´Onder de Hotéis, da Casa da Ovelha e idealizador dos Caminhos de Pedra) foi responsável por uma cena cinematográfica nas ruas de São Pedro – ele mudou a casa de lugar!

Fotos desse transporte estão disponíveis no interior do casarão. 😉

Casa da Ovelha

Casa da Ovelha | Casarão construído em 1917

A Casa da Ovelha compõe o roteiro Caminhos de Pedra, idealizado para preservar e promover a cultura que os imigrantes italianos trouxeram à Serra Gaúcha.

Casa da Ovelha – Degustação

O passeio do inicia com a degustação de produtos da Casa da Ovelha e também uma explicação sobre a história e o trabalho desenvolvido no parque.

Temos a oportunidade de experimentar queijos com diversos tempos de maturação (como feta, grana e pecorino), além do incrível doce de leite de ovelha produzido por lá..

A Casa da Ovelha também fabrica iogurtes e cosméticos. Todos os produtos estão à venda na loja que fica no andar térreo do casarão (que conta, ainda, com roupas e souvenirs), e também na loja virtual.

Parque da Ovelha – Amamentação de cordeiros

Na primeira vez que fui ao Parque da Ovelha eu estava com pouco tempo e acabei perdendo o horário das amamentações (lá é assim: todas as atrações têm horários programados).

Mas na segunda visita, alimentar os cordeirinhos estava no topo das minhas prioridades – e foi uma experiência inesquecível!

Antes da amamentação recebemos uma explicação sobre como devemos proceder: cada cordeirinho recebe uma mamadeira e conforme eles vão sendo alimentados, são trocados de cercadinho.

Casa da Ovelha mamadeiras

Parque da Ovelha | Mamadeiras

Assim que os cordeirinhos vêem as mamadeiras, já ficam agitados, querendo garantir o seu leitinho. (Mas eles não atacam, são muuuito mansinhos).

Essa é a atração do parque mais especial para as crianças. Olha como elas se divertem com os bichinhos.

Casa da Ovelha amamentação

Parque da Ovelha | Amamentação de cordeirinhos

Eles bebem tudo rapidinho – e balançando os rabinhos.

Casa da Ovelha amamentando cordeiro

Parque da Ovelha | Amamentação de cordeirinhos

Depois que todos estão alimentados, a parte mais legal: somos convidados a entrar nos estábulos pra ganhar um ataque de carinho e lambeijos.

Sério, é uma explosão de fofura! (E rende fotos maravilhosas!)

Casa da Ovelha Aline e os cordeirinhos

Parque da Ovelha | Eu e os cordeirinhos

Parque da Ovelha – Pastoreio

O Pastoreio é outra atração incrível da casa. Aqui as ovelhas são coadjuvantes. As verdadeiras estrelas são os cães Border Collie que, com a orientação do pastor, movimentam as ovelhas pela propriedade.

Sério, é incrível!

10

Parque da Ovelha | Pastoreio

Essa é a Tina, uma das protagonistas da apresentação.

12

Parque da Ovelha | Eu e a Tina

Ah, aqui eu deixo uma dica importantíssima: logo na entrada do Parque da Ovelha estão disponíveis chapéus e repelentes. Não deixe de usar os repelentes!

Nessa área do pastoreio existem muitos mosquitos borrachudos. E se você nunca foi picado por um borrachudo, garanto que não quer descobrir. É TENSO!

Parque da Ovelha – Falcoaria

A Falcoaria foi uma atração que me surpreendeu bastante. Eu não esperava nada, mas acabei achando muito legal.

Na apresentação, aves de rapina como gavião, falcão e coruja voam conforme comandos verbais de seu treinador. Elas voam suuuper pertinho das nossas cabeças!

Casa da Ovelha falcoaria

Parque da Ovelha | Falcoaria

Outras atrações

Além de todas essas atrações, existem outras que (ainda) não tive a oportunidade de participar. São elas:

* Visualização e participação da rotina diária de ordenha da fazenda;
* Alimentação de ovelhas adultas;
* O Grande Rebanho – Movimentação de ovelhas para o galpão;
* Passeio de trator pela fazenda e Parque de Esculturas.

O lado bom é que ainda sobraram novas atividades para a minha próxima visita ao Parque da Ovelha. 🙂

 

Serviço:

Parque da Ovelha
Rodovia Linha Palmeiro, 400 – Distrito de São Pedro, Bento Gonçalves
Horários de funcionamento: A loja está aberta das 9h às 17h30, e o parque funciona das  9h30 às 16h30
O ingresso custa R$ 80 por pessoa.
Cada atração dura 30 minutos. O visitante pode entrar e sair do parque quantas vezes quiser, no mesmo dia.

* As duas visitas foram feitas a convite do Parque da Ovelha.

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Casa Fontanari: um refúgio vitivinicultor no alto dos Caminhos de Pedra

Sou apaixonada por vinícolas pequenas, estilo “boutique”, que respeitam seu terroir e apresentam produtos de qualidade, complexos e genuínos.

A Casa Fontanari é assim: uma vinícola familiar, localizada em um local especial (a região de São Pedro, no alto dos Caminhos de Pedra), que elabora vinhos de excelência.

As origens da vinícola Casa Fontanari

Em 1989, o médico Juliano Fontanari deu início à vinificação de seus primeiros vinhos, oriundos de inúmeras variedades de videiras plantadas alguns anos antes pelo seu pai, Euclidio Fontanari.

Ah, o vinho não entrou na família por acaso. O pai de Euclidio, Guilherme Fontanari, foi o primeiro diretor-presidente e um dos fundadores da Cooperativa Aurora.

Dos filhos do dr. Juliano, um se destacou pelo grande interesse pelo vinho: Victor Fontanari, que atualmente é o responsável pela vinícola.

Casa Fontanari – a propriedade

A entrada da Casa Fontanari já é apaixonante: a casa é toda coberta de verde, a recepção é calorosa, o cenário do entorno é belíssimo.

Casa Fontanari entrada

Casa Fontanari

A vinícola faz parte do roteiro Caminhos de Pedra, e fica no alto do distrito de São Pedro. A propriedade conta com uma vista privilegiada de algumas casas, da igreja e da Casa da Ovelha.

Para aproveitar a paisagem, alguns mirantes foram instalados.

Casa Fontanari pipa

Casa Fontanari | Mirante

Claro que eu aproveitei esse cenário privilegiado pra tirar algumas fotinhos! 🙂

Casa Fontanari Aline

Casa Fontanari | Mirante

Os vinhedos da Casa Fontanari fazem parte da área demarcada pela Indicação de Procedência do município de Pinto Bandeira. As videiras são plantadas em espaldeiras verticais.

Casa Fontanari Vale

Casa Fontanari | Videiras e , ao fundo, o distrito de São Pedro

Casa Fontanari – visitação à cave

Quem conduziu nossa visita na casa Fontanari foi o simpático Douglas Braido, um apaixonado pela região de São Pedro, onde nasceu.

Como se trata de uma vinícola pequena, de produção limitada, em um mesmo espaço (o porão da casa) podemos ver todo o processo de elaboração das bebidas

Os vinhos da Casa Fontanari passam por barricas de carvalho francesas, que refletem diretamente no resultado final do produto.

Casa Fontanari barricas

Casa Fontanari | Douglas Braido e as barricas de carvalho

Casa Fontanari tanques

Casa Fontanari | Tanques e espumantes passando pelo método Champenoise

A rotulagem dos produtos é feita manualmente. Segundo Braido, todos os funcionários auxiliam nesse processo – inclusive o próprio Victor, proprietário da vinícola.

Casa Fontanari rotulagem

Casa Fontanari | Rotulagem manual

Casa Fontanari – Degustação

A degustação dos produtos da Casa Fontanari inclui cerca de dez rótulos e custa R$ 30 por pessoa – valor que pode ser revertido em compras na loja da vinícola.

Eu me apaixonei pelos vinhos e espumantes que degustamos lá, mas vou destacar aqui três rótulos.

Primeiro, o espumante Mion Rosé Brut. Ele tinha uma coloração e aroma de morango e framboesa. Elaborado pelo método champennoise, ele foi premiado com medalha de ouro no Concurso Mundial de Bruxellas.

Gostei tanto que trouxe um pra mim! 🙂

Casa Fontanari espumante Mion rosé

Casa Fontanari | Mion Rosé Brut

Também destaco o Chardonnay Bâtonnage, fermentado em barricas de carvalho por doze meses. Nesse período, o vinho é agitado duas vezes por semana com um bastão (e é daí que vem o termo bâtonnage).

Na boca, um vinho aromático e equilibrado. Uma obra-prima produzida na casa.

Casa Fontanari chardonnay

Casa Fontanari | Chardonnay Bâtonnage

E, por fim, o Casa Fontanari Ancellotta. Um vinho forte, presente, arrebatador, que tem uma longa permanência na boca. Ele também foi premiado com medalha de ouro no Concurso Mundial de Bruxelas.

Eu nunca tinha experimentado qualquer vinho feito com a ancellotta, qualidade de uva que é utilizada apenas para dar cor à outros vinhos, mas foi amor à primeira degustação. Também trouxe pra casa! 🙂

Casa Fontanari ancelotta

Casa Fontanari | Casa Fontanari Ancellotta

Ah, a Casa Fontanari também produz Pisco, Brandy e Grappa. O Vini, meu marido, experimentou os três e gostou muito – mas eu confesso que não sou muito chegada nos destilados, então esses eu passei.

Casa Fontanari destilados

Casa Fontanari | Pisco, Brandy e Grappa

Enfim, super indico a visita e degustação da Casa Fontanari. Uma vinícola que oferece belas paisagens e vinhos de personalidade.

Se você estiver nos arredores dos Caminhos de Pedra, não deixe de passar por lá. 😉

 

Serviço:

Vinícola Casa Fontanari
Funcionamento: diariamente, das 9h30 às 18h
Endereço: Caminhos de Pedra – Bento Gonçalves

 

Para ler outros posts de enoturismo clique aqui.

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Roteiro: o que fazer em Guaíba

Localizada a 30km de Porto Alegre, Guaíba é uma cidade que vale a visita dos porto-alegrenses em busca de um bate-volta super bacana. Além disso, com o surgimento do catamarã que liga as duas cidades, fazer o trajeto pelo rio* fica ainda mais gostoso.

Eu fui à Guaíba para almoçar no restaurante Caisinho, mas chegando lá descobri um roteiro super bacana e rápido de ser percorrido.

O município vem intensificando sua vocação turística há alguns anos, valorizando seus patrimônios históricos e naturais. Além disso, diversos pontos de visitação encontram-se próximos uns dos outros, então em poucas horas você consegue ver tudo.

Abaixo, vou contar um pouco sobre cada um dos lugares que conhecemos! 😉

* Sim, eu sei que o Guaíba não é rio, e sim um lago, mas eu me criei na Zona Sul de Porto Alegre, bem pertinho dele. Como durante toda a vida eu chamei de rio Guaíba (e, na real, todo mundo que conheço ainda chama ele de rio), não é natural pra mim chamar ele de lago. Então nesse blog vai ser Rio Guaíba sim! kkk

Sítio Histórico de Guaíba

Vamos começar o roteiro pelos pontos que renderam à cidade o título de “Berço da Revolução Farroupilha”. A Casa de Gomes Jardim e o Cipreste Histórico estão situados no espaço denominado “Sítio Histórico de Guaíba”, que é tombado pelo patrimônio histórico do Rio Grande do Sul.

O cipreste, que tem mais de 200 anos, foi o cenário escolhido pelos líderes da revolução para planejar a tomada de Porto Alegre, que aconteceu em 1835. A árvore é um monumento natural e cultural do município, e está presente no hino, no brasão e na bandeira de Guaíba.

Em frente à arvore, fica a casa de Gomes Jardim, um dos maiores líderes da Revolução. A antiga sede da estância das Pedras Brancas, construída no final do século XVIII, é aberta ao público – a visita guiada custa R$ 3.

Guaiba cipreste

Guaíba | Cipreste Histórico e a casa de Gomes Jardim

Também faz parte do Sítio Histórico a praça Gomes Jardim, onde um monumento em homenagem ao líder farroupilha guarda seus restos mortais.

Guaiba monumento e tumulo

Guaíba | Monumento à Gomes Jardim

Vitrine Cultural

Logo ao lado da praça, fica a Vitrine Cultural, um espaço destinado à divulgação e promoção das atividades culturais de Guaíba e região.

Guaiba vitrine cultural

Guaíba | Vitrine Cultural

Além de abrigar a Chama Crioula do Milênio, o espaço tem uma mostra permanente sobre a história de Guaíba e da Revolução Farroupilha.

Guaiba vitrine cultural interno

Guaíba | Vitrine Cultural

Guaiba vitrine cultural cenario

Guaíba | Vitrine Cultural

As visitas são gratuitas. O espaço fica aberto de terça a domingo, das 10h30 às 17h30.

Igreja Nossa Senhora do Livramento

A poucos passos do Sítio Histórico, fica a Igreja Nossa Senhora do Livramento, padroeira do município, que tem mais de 100 anos de história.

No local, antes da construção da igreja, existia uma capela (ainda na propriedade de Gomes Jardim). Mas, com o crescimento da população local, a capela tornou-se uma Freguesia e, posteriormente, ali foi edificada a igreja, um dos principais ícones da cidade.

Guaiba igreja

Guaíba | Igreja Nossa Senhora do Livramento

Clown Café

Depois de passear e conhecer mais da história local, é chegada a hora de tomar um cafezinho, não é mesmo? 🙂

Então o melhor lugar para isso é o Clown Café, que fica bem em frente à Vitrine Cultural.

Guaiba Clown cafe fachada 2

Guaíba | Clown Café

O lugar é super simpático, e tem uma decoração divertida e peculiar.

Tem até alguns acessórios pros clientes tirarem fotos divertidas. Claro que sou boba o suficiente e aproveitei! 🙂

Guaiba Clown cafe eu

Guaíba | Palhacita no Clown Café

O Clown Café funciona de terça a sexta-feira, das 11h ás 18h30; e sábados e domingos, das 14h, às 19h.

Mirante e Escadaria 14 de Outubro

Bem ao lado do Clown Café fica o Mirante da Escadaria 14 de Outubro, que tem uma vista linda da cidade e do rio Guaíba. A escadaria foi construída no lugar da antiga Lomba do Inferno, uma rua muito ingrime que havia no local.

Guaiba escadaria

Guaíba | Escadaria 14 de Outubro

Descendo pela escada e percorrendo poucas quadras, chegamos na beira do rio.

Orla do Guaíba

Caso você vá para a cidade de catamarã, a Orla do Guaíba é o primeiro ponto turístico dessa sugestão de roteiro que você irá encontrar, pois é lá que acontece o desembarque da travessia. Esse é também um dos pontos mais legais da cidade!

Além do município que leva seu nome, o rio Guaíba banha as cidades de Porto Alegre, Eldorado do Sul, Barra do Ribeiro e Viamão. Além de fazer parte da identidade visual da região, as suas águas são utilizadas para abastecimento hídrico, diluição de águas residuais (como esgotos), recreação, pesca, esportes aquáticos e navegação.

Passeando pelo calçadão, podemos observar a Ilha de Pedras Brancas, além de uma bela vista da cidade de Porto Alegre.

Guaiba calçadão

Guaíba | Orla do Guaíba

É na Orla do Guaíba que está instalado o próximo tópico desse post – aliás, o meu favorito. 🙂

Restaurante Caisinho

O Caisinho é um dos melhores pontos gastronômicos da cidade: comida excelente, atendimento acolhedor e uma vista incrível – ele fica bem na beira do rio.

Guaiba Caisinho restaurante

Guaíba | Restaurante Caisinho

O cardápio do restaurante é bem diversificado (conta com filés, aves, peixes e petiscos variados – acesse aqui), mas eu resolvi apostar nos pratos com camarão e não me arrependi. Estava tudo muito delicioso!

Guaiba Caisinho camarão milanesa

Guaíba | Os camarões do Caisinho

O almoço no Caisinho rendeu um post só pra ele. Se você quer saber o que mais que comemos por lá e todas as nossas impressões, clique aqui.

Transporte

Catamarã

O trajeto entre Porto Alegre e Guaíba dura cerca de 20 minutos e conta com belas paisagens pelo caminho. O embarque na capital pode ser feito em dois locais: Cais Mauá (Centro) e no Píer do Barra Shopping Sul.

Para saber mais sobre este passeio, bilhetes e valores visite o site: www.travessiapoaguaiba.com.br

Jardineira

Caso você vá para a cidade de catamarã, uma boa opção para percorrer os pontos turísticos da cidade é a Jardineira, a linha turismo de Guaíba. O passeio inicia na Hidroviária de Guaíba, onde é feito o desembarque do catamarã.

A Jardineira custa R$ 9 por pessoa e opera aos sábados, domingos e feriados, das 10h30 às 16h30. De segunda a sexta o passeio pode ser feito mediante agendamento. O trajeto conta com um guia turístico e tem duração de aproximadamente uma hora.

Para mais informações, acesse o site da Prefeitura de Guaíba.

E então, o que acharam desse roteiro? Garanto que esse é um ótimo programa de final de semana! 🙂

 

Leia mais: Restaurante Caisinho: boa gastronomia com vista para o Guaíba

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

 

Restaurante Caisinho: boa gastronomia com vista para o Guaíba

Eu estou sempre buscando passeios estilo bate-volta, saindo de Porto Alegre, para fazer nos finais de semana. Acho uma delícia sair de casa e visitar algum lugar próximo e diferente, que faça eu me sentir em uma viagem.

Há algum tempo a Criz, do insta Vida Que Flui, tinha me indicado o restaurante Caisinho, em Guaíba. Aproveitei o domingo ensolarado pra conhecer esse lugarzinho delicioso.

Restaurante Caisinho

O Caisinho fica na cidade de Guaíba, bem na beira do rio. Uma maneira gostosa de chegar lá, partindo de Porto Alegre, é pegar o catamarã que liga as duas cidades – a estação fica bem ao lado do restaurante.

Roteiro: o que fazer em Guaíba

Guaiba Caisinho rio e flores

Caisinho, de frente para o rio Guaíba

O espaço que hoje abriga o Caisinho pertence à familía Stringhini desde 1955, e já foi sede do Clube Aliança. Mas atualmente quem administra o restaurantes são o simpático casal Carlos Leonardo e Maria Luiza Gheller.

Guaiba Caisinho restaurante

Restaurante Caisinho

Almoçar no Caisinho fica ainda melhor se você ficar nas mesas junto às janelas, porque a vista é linda demais! (Ah, se preferir ficar mais próximo ainda do rio, o local também conta com mesas externas.)

Guaiba Caisinho vista restaurante

Caisinho | A vista do restaurante

Restaurante Caisinho: o almoço

O cardápio do restaurante é bem diversificado (conta com filés, aves, peixes e petiscos variados – acesse aqui), mas eu resolvi apostar em dois pratos com camarão.

“Abrimos os trabalhos” com o camarão à milanesa (R$ 84,50). Os camarões eram grandes e estavam muuuito crocantes. Perfeitos!

Guaiba Caisinho camarão milanesa

Caisinho | Camarões empanados

Eu ❤️ camarão à milanesa. Essa é uma das minhas comidas favoritas!

Guaiba Caisinho eu e o camarão

Caisinho | Eu e meu camarão empanado enorme

De principal, escolhemos o risoto de camarão (R$ 165,50, para duas pessoas). Eu já tinha visto algumas fotos desse risotinho na internet, então já cheguei lá com o pedido na ponta da língua.

Guaiba Caisinho risoto de camarão

Caisinho | Risoto de camarões

O arroz chegou ainda caldoso, dentro de uma panelinha, e estava muito bem temperado.

Ah, e dá uma olhada na quantidade de camarões! Sério, lá eles não economizam na porção, bom demaaaais!

Guaiba Caisinho camarões

Caisinho | Risoto CHEIO de camarões

Depois do almoço, a pedida é curtir a brisa do Guaíba, as flores e a vista de Porto Alegre.

Guaiba Caisinho flores

Caisinho | Curtindo a beira do rio Guaíba

Não sei escolher o que foi melhor nesse domingão: a comida, o atendimento ou a vista linda do restaurante.

Que lugar gostoso! 🙂

 

Serviço:

Restaurante Caisinho
Endereço: Avenida João Pessoa, nº 1240 – Centro, Guaíba
Funcionamento: de segunda a quinta-feira, das 11h30 às 14h e das 17h às 23h30; sexta e sábado, das 11h30 às 15h e das 17h às 23h30; e domingo, das 11h30 às 15h.

 

Clique aqui para ler o post sobre o meu roteiro completo em Guaíba.

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Tonghai, um clássico restaurante chinês em Porto Alegre

Lembra que nos anos 90 a culinária chinesa tava super em alta? Existiam muitos restaurantes e todo mundo aprendeu a amar yakisoba!

Mas nos anos 2000 o fechamento de restaurantes chineses se deu na mesma proporção da abertura dos japoneses. Foram poucas as casas que restaram em Porto Alegre…

Uma das que permaneceram foi o Tonghai, em funcionamento desde 1986 (o ano em que eu nasci!).

Tonghai fachada

Tonghai | Fachada

O Tonghai é um restaurante bem tradicional e logo que você entra já sente que está em um lugar clássico – desses que servem comida boa sem alarde e sem redes sociais, mas que conquistam uma legião de fãs.

Tonghai interno

Tonghai | Ambiente interno

Tonghai – Sequência de pratos chineses

O Tonghai serve um buffet de comida chinesa no almoço (todos os dias da semana), mas é à noite que a casa realmente brilha em uma sequência de pratos servidos na mesa.

O jantar começa com rolinhos primavera e camarões empanados, acompanhados de um molhinho agridoce.

Gente, esse rolinho primavera tava SEN-SA-CI-O-NAL! Recheado de muitos legumes e carne, bem molhadinho por dentro e super crocante. Começamos muito bem!

Tonghai entradas

Tonghai | Rolinhos primavera e camarão empanado

Em seguida chega à mesa o filé de porco frito. Ele era tão suculento e cheio de sabor que foi escolhido por mim como o melhor prato da noite. 🤤

Tonghai porco frito

Tonghai | Carne de porco frita

Os rolinhos e o porco fazem parte das entradinhas. Depois de devorarmos tudo, a simpática Mari, que nos atendeu por lá, perguntou se poderia servir o restante da sequência – que chega toda junto. Amooo!

Tem macarrão frito, com molho estilo yakissoba separadinho.

Tonghai macarrão

Tonghai | Macarrão frito

Tem o super típico arroz chop suey.

Tonghai arro chop suey

Tonghai | Arroz chop suey

O prato favorito da minha infância em restaurantes chineses: carne com cebola!

Tonghai carne com cebola

Tonghai | Carne com cebola

Já contei pra vocês que adoro frango? Esse à xadrez tava bom demaaaais!

Tonghai frango xadrez

Tonghai | Frango à xadrez

Também tem camarão com molho picante!

Ah, já falei que todos os pratos têm reposição? Pode repetir o que quiser! 🙂

Tonghai camarão apimentado

Tonghai | Camarão com molho picante

Que banquetão, hein? ❤️

Tonghai banquete chinês

Tonghai | Banquete chinês

Ah, confia em mim: guarde um espaço para a sobremesa!

Essa banana caramelizada super crocante por fora e cremosa por dentro chega bem quentinha na mesa. 😋😋😋

Tonghai banana caramelada

Tonghai | Banana caramelizada

Apesar de existir há tanto tempo, o Tonghai é pouco conhecido. Postei o nosso jantar no Instagram e bastante gente me respondeu dizendo que nunca nem tinha ouvido falar. Precisamos fazer algo sobre isso, né?

Então bora conhecer esse clássico de Porto Alegre! Recomendo! 😉

 

Serviço:

Restaurante Tonghai
Endereço: Avenida Plínio Brasil Milano, 366 – Auxiliadora (Porto Alegre)
Além da sequência do Tonghai custa R$ 59 por pessoa e é servida somente à noite. Ao meio-dia a casa oferece comida chinesa em sistema de buffet.

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Um delicioso jantar-aula português com Pi&Mentas Cuisine

“Portugal fascina pelas pessoas, pelos costumes tão próximos aos nossos, pelos prédios antigos e coloridos, pelos castelos, pelos bares, pelos restaurantes, pela vida e, principalmente, pela comida. Se essa gastronomia não é uma língua, uma forma de se comunicar, acho que perdi a razão.

A gastronomia portuguesa é uniforme e, ao mesmo tempo, tem suas nuances em cada região, é única e, ao mesmo tempo tão semelhante a comidinha da minha vó, é simples, mas encanta em cada mordida. Comer em Portugal me fez ampliar meu amor pela gastronomia e reforçar minhas crenças de que, na cozinha, certo e errado é questão de gosto.”

O trecho acima foi retirado do blog da chef Pietra Acunha, o Pi&Mentas Cuisine (especificamente desse post).

Eu não conseguiria descrever melhor a gastronomia portuguesa do que esse texto lindo!

Portugal é o destino que mais rendeu posts aqui nesse blog. A Pietra também visitou o país esse ano e, graças à essa querida chef, há alguns dias eu pude matar um pouquinho a saudade da gastronomia portuguesa em um super jantar-aula.

Eu fiquei encantada com a didática da Pietra e me acabei comendo Porco à Alentejana, Bacalhau às Natas e Pastel de Cerveja.

Ah, no final do post tem receitinha! 😉

Pi&Mentas Cuisine by chef Pietra

A Pietra é chef de Gastronomia para Eventos formada pelo Egas e professora de gastronomia formada em Hotelaria pela FARGS.

Entre 2012 e 2013, morou fora e trabalhou em diversos restaurantes. O blog Pi&Mentas Cuisine foi criado ainda em 2012, com receitas e crônicas sobre a vida.

Em 2017, resolveu criar contas no Instagram e no Facebook para o blog onde inclui, além das receitas, dicas sobre restaurantes que frequenta. Nesse mesmo ano, passou a dar aulas particulares e ministrar cursos de gastronomia.

Ah, ela é autora do livro “Na Cozinha com Pi&Mentas”. Chique, hein?

Eu e Pietra

Eu e a chef Pietra

Jantar-aula português

Assim como eu, a Pietra fez uma verdadeira imersão gastronômica em Portugal. Então, pra compartilhar tudo que comeu e aprendeu por lá, ela decidiu criar esse cursinho com receitas pouco convencionais.

O jantar-aula foi realizado na casa dela mesmo, e lá podemos sentir um pouco do que ela gosta de fazer: viajar.

Sala Pietra

A parede da casa da chef

Ah, todos os pratos foram harmonizados com bebidas da Porto a Porto.

Para abrir o apetite: sopa de melão

Adorei que a experiência já começou surpreendendo muito!

Para “abrir o paladar”, fomos recebidos com uma receita bem pouco convencional: sopa de melão com hortelã e bacon. Parece uma combinação esquisita, mas eu juro que tava uma delííícia!

Sopa de melão e bacon

Sopa de melão, hortelã e bacon

Entrada: Marufos

A chef Pietra fez tudo na nossa frente, contando a história dos pratos, dos lugares que visitou, e da relação dela com a cozinha. ❤️

Garfadas pelo Mundo e Pietra

Pietra cozinhando e a Lu Cadore (do blog Garfadas pelo Mundo) fotografando

Fugindo do óbvio, em vez do clássico bolinho de bacalhau, ela escolheu como entrada os  Marufos – bolinhos de peixe super aerados.

Para acompanhar os Marufos, o espumante Messias, da região do Bairrado.

Marufos e espumante Messias

Marufos e o espumante Messias

Primeiro prato: Porco à Alentejana

Logo em seguida acompanhamos o preparo do porco à Alentejana. A Pietra comeu esse prato no restaurante Taberna Típica Quarta-feira, que fica em Évora. A casa serve um menu fechado e você só fica sabendo o que vai comer quando os pratos chegam à mesa.

Ela gostou tanto desse prato que resolveu incluí-lo no curso.

Ah, e pra acompanhar ela fez um arroz de tomates que estava simplesmente PER-FEI-TO! 😋

Porco alentejano

O porco à Alentejana foi harmonizado com o vinho Reguengos, do Alentejo.

Segundo prato: Bacalhau às Natas

Mas, apesar de todas as novidades e pratos diferentes, um bacalhauzinho sempre cai bem, né? Esse peixe é a cara de Portugal!

Leia mais: Sete versões de bacalhau que você precisa provar em Portugal

Bacalhau em lascas

A chef Pietra nos ensinou uma receita que ela aprendeu lá mesmo, participando de um curso oferecido nas Experiências do Airbnb. Nas palavras dela:“foi uma experiência muito legal, na casa do host, com a família dele. Fui procurar por esse tipo de curso depois de ver que tu aprendeu a fazer pastel de Belém por lá.

Amei? Amei! ❤️

Olha que bacana esse relato:

“O mais legal foi ver que ele começava a cozinhar com a panela desligada e colocava o azeite e a cebola na panela fria. Minha mãe sempre cozinhou assim e eu aprendi que era errado quando fiz faculdade. Então, foi muito bom ver que lá nas nossas origens (minha família tem origem portuguesa) eles cozinham como a minha mãe.”

Pietra Bacalhau

Chef Pietra e o bacalhau pronto pra ir para o forno

Sério, tava bom demais esse bacalhau! 🤤🤤🤤

Pra harmonizar, o vinho Tons Duorum, da região do Douro.

Bacalhau

Tem uma coisa que eu gosto muito nesses eventos que envolvem uma mesa farta e vários desconhecidos: no final todo mundo fica amigo e conversa sobre os mais diversos assuntos.

jantar portugues

O grupo de alunos dessa noite incrível

Sobremesa: Pastel de Cerveja

Bem na frente da loja que vende os Pastéis de Belém (o original), fica uma portinha pequena que anuncia os Pastéis de Cerveja.

Eu cheguei a pensar em entrar, mas acabei não provando esse doce por lá.

Felizmente a chef Pietra fez o que eu não fiz, atravessou a rua e se deliciou com esses pastéis cheios de amêndoa. E não só isso: trouxe a receita pra casa pra matar a minha vontade que ficou recolhida lá em Lisboa! Êeeeee! 🙂

O Pastel de Cerveja foi harmonizado com o Vinho Madeira Justino´s.

Psatel de cerveja e vinho

Pastel de Cerveja e o Vinho Madeira

Receita do Pastel de Cerveja

De tudo que a Pietra serviu, a sobremesa foi o que mais me chamou a atenção, então pedi pra ela pra escrever aqui a receita pra que vocês possam reproduzir o Pastel de Cerveja em casa! 🙂

Massa:

400g de farinha de trigo
100g de açúcar
200g de manteiga
1/3 de xícara de cerveja
1 gema
1 pitada de sal

Misture o açúcar, o sal e a farinha. Pique a manteiga em cubinhos e, com as mãos, incorpore-a à farinha até virar uma farofa. Junte a gema e a cerveja e forme uma bola. Leve para gelar por, pelo menos, uma hora.

Recheio:

20 colheres de sopa de açúcar
10 gemas
200g de amêndoas cruas
Açúcar de confeiteiro

Descasque e pique as amêndoas. Reserve.
Bata o açúcar e as gemas e reserve.

Volte para a massa.

Abra-a com a ajuda de um rolo e coloque-a em forminhas.

Pastel de cerveja forminha

Acrescente as amêndoas e cubra com a gemada.

Pastel de cerveja cobertura

Cobrindo as forminhas com a gemada

Leve para assar em forno a 180°C por cerca de 30 minutos ou até dourar.
Polvilhe o açúcar confeiteiro e sirva quentinho. 😍

Pastel de cerveja pronto

Pastel de Cerveja prontinho!

Na minha viagem à Portugal eu fiz um tour de doces portugueses, sabia? Então posso dizer com propriedade: esse pastel tinha o sabor da “terrinha”.

E aí, você vai fazer essa receita? 😋

 

Próximos cursos da Pi&Mentas Cuisine agendados:

28/11 – Gastronomia italiana  – curso ministrado em italiano
5/12 – Variando o menu de Natal

Os dois cursos iniciam às 19h e serão realizados na casa da chef, no bairro Rio Branco.
Para acompanhar a agenda da Pi&Mentas, segue ela no insta!

 

Se quiser acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Vento Serrano: carnes nobres e culinária alemã em Morro Reuter

Ahhh, eu adoro viajar pelo meu Estado e descobrir lugares novos e incríveis. ❤️

No mesmo final de semana que ficamos hospedados na deliciosa cabana rústica do Morro do Vento, decidimos explorar os arredores e sair para comer nos restaurantes das cidades vizinhas, como Nova Petrópolis e Morro Reuter.

Foi nessa segunda que tivemos uma das maiores surpresas gastronômicas da viagem – o restaurante Vento Serrano.

Restaurante Vento Serrano

Durante cerca de 12 anos, os proprietários do Vento Serrano trabalharam em restaurantes como funcionários. Nesse período, eles observaram que havia uma forte demanda por comida de qualidade na região.

Em 2007, a casa que abriga o Vento Serrano começou a ser construída, mas só em 2014 a propriedade estava pronta para receber os clientes nos almoços de finais de semana e feriados. Em 2016, o restaurante passou também a oferecer a sequência de fondue nos sábados à noite.

Vento Serrano restaurante e galinhas

Restaurante Vento Serrano

Optamos por conhecer o almoço – buffet de pratos da culinária alemã e colonial e rodízio de carnes nobres.

Vento Serrano – Entradinhas

A primeira coisa que chega à mesa é um prato com bolinhos e polenta frita, acompanhados de um molho de mostarda e de outro à base de mel.

Vento Serrano petiscos

Vento Serrano | Entradinhas

Vento Serrano – Buffet

Depois de petiscar um pouquinho, seguimos para conhecer o buffet.

Durante uma época da minha vida meus pais tiveram um restaurante com esse tipo de serviço. Nessa época aprendi o quanto é difícil manter a qualidade, variedade e boa apresentação de todos os pratos.

Contei isso porque o buffet de saladas do Vento Serrano me chamou a atenção, era farto e muito bonito.

Vento Serrano buffet de saladas

Vento Serrano | Buffet de saladas

Os pratos alemães e coloniais são servidos em panelinhas de barro, e ficam em um forninho aquecido. Também existem alguns pratos servidos em réchauds logo ao lado.

Vento Serrano buffet quente

Vento Serrano | Buffet de pratos coloniais e alemães

Aqui quero destacar dois pratos que foram os que eu mais gostei de todo o almoço: a galinha caipira e o pato na laranja. Por mais que o restaurante ofereça várias outras coisas (que ainda vou mostrar), eu me acabei de comer esses dois:

Bem na frente dos pratos quentes ficam as sopas e as feijoadas – sim, feijoadas no plural: eles oferecem uma opção vegetariana. Adoro esse cuidado! 🙂

Vento Serrano sopas e feijoada

Vento Serrano | Sopas e feijoadas

Vento Serrano – sequência de carnes

Só o buffet já faria meu almoço muito feliz, mas ainda é oferecida uma sequência de carnes nobres, que passa nas mesas.

São servidos cortes como filés, cordeiro, javali, costelão 12 horas, matambre e picanha. Delícia demais! 😋

Vento Serrano costelão

Vento Serrano | Costelão 12 horas

Vento Serrano matambre

Vento Serrano | Matambre

Vento Serrano picanha

Vento Serrano | Picanha nobre

Ah, e ainda vem na mesa um joelho de porco que DESMANCHA na boca. Sou fã dessa carne! 🤤

Vento Serrano joelho de porco

Vento Serrano | Joelho de porco

E de chucrute! ❤️

Vento Serrano chucrute

Vento Serrano | Eu e o chucrute

Vento Serrano – Sobremesas

Depois de toda essa comilança, é difícil guardar um lugarzinho pra sobremesa, né?

Mas eu sou forte seguidora daquele ditado popular: “a comida vai para o estômago, e a sobremesa vai para o coração”.

Difícil mesmo é resistir a todas essas gostosuras! 😋

Vento Serrano sobremesa

Vento Serrano | Buffet de sobremesas

Além de mousses, tortas, pudins e várias outras coisas, ainda tem uma parte destinada às receitas mais clássicas, aquelas do tipo “sobremesa de vó”.

Sagu, merengue e vários doces em calda – até chuchu e melancia!

Vento Serrano sobremesas

Vento Serrano | Doces “de vó”

Vento Serrano – passeio pela propriedade

Almoçar no Vento Serrano não se resume a comer e ir embora. Lá ainda tem um super plus: a propriedade e os seus animais.

Faz parte da experiência visitar a cabra mais simpática do mundo…

… os pôneis que fazer a gente morrer de fofura…

Vento Serrano dupla de poneis

Vento Serrano poneis

… e passear em volta das galinhas, dos galos e até dos vários pintinhos que passeiam soltos pelo pátio.

Esse lugar é um encanto! ❤️

 

Serviço:

Vento Serrano
Endereço: Rua Mathias Mombach, nº 303 – Walachai, Morro Reuter
Funcionamento: buffet e rodízio de carnes aos sábados, domingos e feriados, das 11 às 15h30; aos sábados à noite é servido o rodízio de fondue, das 18h50 às 22h (a temporada de fondue já está encerrada e deve iniciar novamente em março)
O almoço custa R$ 79 por pessoa.

 

Se quiser conhecer outro restaurante incrível de Morro Reuter, clique aqui.

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Comer bem em Washington: Hill Country Barbecue

Quando estávamos indo pra Israel tivemos uma conexão de 16 horas em Washington, D.C., então decidimos sair do aeroporto pra conhecer a cidade.

Depois de caminhar muito e conhecer alguns museus do complexo Smithsonian (são todos gratuitos!), resolvemos parar pra almoçar em um lugar tipicamente americano.

A nossa escolha foi o Hill Country Barbecue Market, restaurante especializado em churrasco estilo texano.

Hill Country Barbecue fachada

Hill Country Barbecue Market | Fachada

No Hill Country Barbecue você escolhe o corte de carne que quer, os atendentes fatiam e pesam. Elas são entregues embrulhadas em um papel pardo, como se fosse em um açougue.

Hill Country Barbecue balcão

Hill Country Barbecue Market | Balcão de carnes

Depois você segue para outro balcão pra escolher os acompanhamentos. Existem opções bem típicas americanas, como coleslaw (salada de repolho, cenoura e maionese), mac&cheese, feijão adocicado, e salada de batata.

Hill Country Barbecue pratos

Hill Country Barbecue Market | Carnes e acompanhamentos

No churrasco texano, as carnes são defumadas e assadas lentamente. Elas têm um aspecto tostado por fora, mas por dentro elas são mega suculentas e muito macias.

Essa crosta escura é resultado do tempero utilizado – o dry hub, uma mistura de ervas e especiarias passadas em volta das carnes antes de assar.

O sabor é incrível! 😋

Hill Country Barbecue carnes

Hill Country Barbecue Market | Carnes

Hill Country Barbecue

Hill Country Barbecue Market | Aline roendo um ossinho 🙂

Escolhemos três cortes de carne + dois acompanhamentos + um chopp + uma cidra. A conta deu USD 59.

Hill Country Barbecue chopp

Hill Country Barbecue Market | Cerveja

Me conta: você já provou o icônico churrasco texano?

 

Serviço:

Hill Country Barbecue Market
Endereço: 410 7th St NW, Washington D.C.
Clique aqui pra acessar o menu.

Ah, existe também uma filial do Hill Country Barbecue Market em Nova York.
Endereço: 30 W 26th St, New York.

 

Para acompanhar minhas viagens e experiências em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Degustação às cegas na vinícola Dal Pizzol

A vinícola Dal Pizzol foi a primeira parada do nosso tour de motorhome pela Serra Gaúcha com a Vinhos Por Aí. (Se ainda não sabe do que eu estou falando, clica aqui!). Além de passear pelo encantador parque da vinícola, participamos de uma divertida degustação às cegas.

Vem ver como foi! 🙂

A vinícola Dal Pizzol

Há 13 gerações, ainda na Itália, a família Dal Pizzol já elaborava vinhos. Em 1878 a tradição familiar migrou para o Brasil e trouxe essa sabedoria e experiência para seguir com a produção por aqui.

A vinícola Dal Pizzol está localizada na estrada da Rota Cantinas Históricas, em Faria Lemos, interior de Bento Gonçalves.

Vinhos por aí Dal Pizzol

Vinícola Dal Pizzol

Dal Pizzol – Degustação às cegas

Por lá tivemos uma experiencia incrível: exploramos o tato, a audição e o paladar em uma degustação às cegas.

Vinhos por aí Dal Pizzol degustação às cegas

Dal Pizzol | Degustação às cegas

Além de degustar 3 rótulos da Dal Pizzol, também fomos desafiados a descobrir pelo olfato todos os elementos presentes nessas taças (abaixo) – aromas que muitas vezes estão presentes nos vinhos, como frutas, pão, especiarias e café. Muito divertido!

Vinhos por aí Dal Pizzol degustaçao

Dal Pizzol | Degustação às cegas

Dal Pizzol – Parque ecológico

E depois da degustação passeamos pela propriedade, que tem um lago e alguns animais que passeiam soltos. Um lugar belíssimo!

Vinhos por aí Dal Pizzol ecoparque

Dal Pizzol | Parque

No parque estão catalogadas mais de 300 espécies de plantas. Abaixo, um exemplar de carvalho – árvore utilizada para a produção de barricas onde os vinhos são elaborados.

Vinhos por aí Dal Pizzol carvalho

Dal Pizzol | Carvalho

Dal Pizzol – EcoMuseu da Cultura e do Vinho

Junto ao parque também encontra-se o EcoMuseu da Cultura e do Vinho, onde diversos equipamentos históricos e relíquias ficam expostos.

Vinhos por aí Dal Pizzol museu 2

Dal Pizzol | EcoMuseu da Cultura e do Vinho

Vinhos por aí Dal Pizzol Museu

Dal Pizzol | EcoMuseu da Cultura e do Vinho

E também a Enoteca, localizada em um antigo forno de olaria, conservado e restaurado.

Dal Pizzol enoteca

Dal Pizzol | Enoteca

O espaço guarda os vinhos produzidos pela empresa desde a sua fundação, em 1974.

Dal Pizzol enoteca interna

Dal Pizzol | Enoteca

Dal Pizzol – Vinhedo do Mundo

No Vinhedo do Mundo estão plantadas mais de 400 espécies de uvas, oriundas de ceca de 30 países.

Flores e vinhedos Dal Pizzol

Vinícola Dal Pizzol | Vinhedo do Mundo

Me encantei com a vinícola Dal Pizzol, e já quero voltar lá para conhecer o restaurante e passar a tarde “lagarteando” nesse parque lindo! 🙂

 

Se quiser saber quais foram as outras atrações que visitamos no passeio com a Vinhos por Aí, clique aqui.

 

Serviço:

Vinícola Dal Pizzol
Ingresso parque, EcoMuseu e degustação “regular”: R$ 10 por pessoa
Crianças até 6 anos são isentas, e de 7 a 11 anos pagam a metade do valor.
Caso os visitantes optem por almoçar no restaurante, o ingresso é isentado.
Degustação às cegas: R$ 75 por pessoa
Endereço: RS-431, KM 5 – Distrito de Faria Lemos, Bento Gonçalves
Funcionamento: de segunda a sexta, das 9h às 17h; sábados e domingos, das 10h às 16h30.

 

* A visita na Vinícola Dal Pizzol foi feita a convite da Vinhos Por Aí. Para saber mais, clique aqui.

Para acompanhar minhas viagens e experiências gastronômicas em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉