Últimas, Canela, Destinos no Brasil, Gastronomia, Gramado&Canela
Deixe um comentário

Cannelé Bistrot, um pedacinho da França na Serra Gaúcha

Quem diria que seria em Canela que eu teria uma das minhas melhores experiências em um restaurante francês? O Cannelé Bistrot me surpreendeu tão positivamente que ele logo se tornou um dos meus lugares favoritos na Serra Gaúcha!

Estive lá há alguns dias, acompanhada da Sophia (do blog Meu mapa-múndi) e da Criz (do Vida que Flui). A Criz é super amiga dos donos do Cannelé, Mauí Luz e Léo Salamoni, e eu fiquei muito feliz com o convite pra conhecer o restaurante.

O Cannelé Bistrot

Aberto há cerca de dez anos, o Cannelé Bistrot é referência de boa gastronomia na Serra Gaúcha. O restaurante está instalado em uma casa super charmosinha no centro de Canela.

Fachada

O ambiente é acolhedor: a casa tem apenas oito mesas, o atendimento querido e informal e a trilha sonora é espetacular.

Ambiente interno

A decoração é outro destaque da casa: objetos de antiquários e fotos da família compõem o cenário. (Eu me apaixonei por esse palhacinho de papel machê!)

Decoração

O jantar

O cardápio conta com pratos mais tradicionais da culinária francesa e outros de criação do chef, com uma pegada mais autoral. Fomos convidadas a experimentar um menu degustação, composto por algumas sugestões da casa, em versões menores.

O primeiro prato a ser servido foi uma das minhas receitas favoritas da vida: a clássica Soup à l’oignon – sopa de cebolas com queijo gratinado.

Na última vez que estive em Paris pesquisei muito para experimentar a sopa que fosse considerada uma das melhores da cidade, e cheguei até o Au Pied de Cochon. A experiência lá foi excelente e eu contei essa historinha pra dizer que essa sopa tava tão maravilhosa quanto a parisiense. Impecável!

Sopa de cebola

A carta de vinhos é extensa, e conta com rótulos nacionais e importados. Por sugestão do chef, chegamos ao Merlot da Vinha Solo, vinícola de Caxias do Sul. Me apaixonei pelo vinho e pelo rótulo!

Merlot

Logo em seguida chegou o segundo prato: camarões em molho picante de goiaba e curry, acompanhado de cuscuz marroquino. Camarão no ponto perfeito, molho carregado nas especiarias do jeito que eu gosto e cuscuz super molhadinho. Amei, amamos!

Camarão_1

O chef Leonardo Salamoni

Entre um prato e outro, recebemos a visita do chef para conversar sobre os pratos, sobre o Cannelé e sobre sua história com a gastronomia.

Salamoni descobriu a paixão pela culinária quando estudava Hotelaria e Turismo em Florianópolis. De lá pra cá, o porto-alegrense teve a oportunidade de atuar com grandes nomes da cozinha francesa, como Jacques Le Divellec e Philippe Etchebest.

Ah, o Léo ama e pratica a gastronomia diariamente. Algo que faz do Cannelé um bistrô muito especial é a certeza de que é o próprio chef irá preparar o seu prato. É ele que está à frente das panelas todos os dias.

Cozinheiro

Para acompanhar o próximo prato, outro rótulo da Vinha Solo: dessa vez experimentamos o Cabernet Sauvignon.

Vinho Solo

E então, quando pensávamos que nada iria superar os dois primeiros pratos, chegou à mesa a bochecha de porco confitada ao molho de damasco e limão siciliano, sobre purê de mandioquinha.

A bochecha derretia na boca de tão macia. O purê de mandioquinha era muito aveludado. E esse molho era uma explosão cítrica de tempero e criatividade. Ficamos todas encantadas!

Barriga de porco

Foram três pratos com muitas camadas de sabor. Cozinha de autor que me deixou realmente emocionada.

E então, chegaram as sobremesas pra deixar o jantar ainda mais feliz.

Sobremesas

Começamos com o mil-folhas de chocolate meio amargo e rum sobre creme inglês. A massa era muito estaladiça, e o creme tinha um sabor denso de chocolate, que contrastava com a suavidade do creme inglês. Aprovadíssimo!

Mil folhas de chocolate

Em seguida, o clássico crème brûlée. Eu adoro essa receita tão simples e tradicional, e sempre peço quando vejo nos cardápios.

Mas esse brûlée era diferente de todos que eu já comi: por baixo da casquinha super crocante estava um creme tão leve e saboroso que lembrava um chantilly. Amei!

Creme Brullè

E, por fim, o cannelé

Depois das sobremesas, quando pensávamos que o jantar já tinha encerrado, começamos a sentir um cheirinho de laranja e manteiga tomar conta do ambiente…

Eis que o chef chega com uma bela surpresa: os cannelés do Cannelé!

A massinha caramelada por fora e cremosa por dentro foi a cereja do bolo dessa experiência gastronômica incrível.

Cannele

A produção do bolinho é pequena e artesanal, ele nem sempre está disponível na casa. Se quiser garantir o seu, é melhor encomendar no momento da reserva. 😉

Léo e Mauí

Se tem algo que faz eu gostar ainda mais de um lugar é saber que, por trás do negócio, existe alma, família, companheirismo.

Já apresentei eles lá em cima, e vocês já conheceram o chef, mas agora vem a fotinho da dupla responsável pelo Cannelé. Antes de ir embora, pedi pra Mauí e para o Léo pra tirar uma foto deles juntinhos. Queridões! ❤️

Casal_alta

O Cannelé entrou para a posteridade dos grandes jantares da vida. ❤️

Afirmo com convicção: quem descobre esse bistrô, vira cliente. O restaurante de pratos complexos e bem temperados agrada até o paladar mais exigente.

Não vejo a hora de voltar lá pra experimentar a caldeirada de frutos do mar e o cassoulet. 😋😋😋

 

Serviço:

Endereço: Rua Danton Corrêa da Silva, nº 307.
Funcionamento: Quintas e sextas, das 19h às 24h; sábados das 12h às 16h e das 19h às 24h; e domingos das 12h às 16h. Eventualmente, o restaurante abre em alguns feriados do ano – acompanhe pela página do Facebook.
Telefone: (54) 3278-1499

 

Para acompanhar minhas viagens e experiências em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Deixe seu comentário! :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.