Últimas, Comida, Destinos no exterior, Gastronomia, Portugal
Deixe um comentário

Conheça as 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa

Frutos do mar frescos, centenas de pratos com bacalhau, queijos selecionados, azeites premiados, vinhos incríveis e doces que enchem os olhos e agradam ao paladar. A gastronomia portuguesa é um dos grandes atrativos turísticos do país, é um patrimônio intangível, um importante testemunho de identidade cultural. Eu me apaixonei pela culinária de Portugal!

O país valoriza tanto a boa comida que até mesmo um concurso foi criado para escolher as 7 Maravillhas da Gastronomia Portuguesa, no ano de 2011. Foram quase 900 mil votos que elegeram as sete iguarias.

7maravilhas-gastronomia-logo2

Eu provei todas e agora vou falar pra vocês sobre cada uma delas! 😉

Alheira de Mirandela

A Alheira de Mirandela (que tem esse nome por conta de sua origem – a cidade de Mirandela) é um embutido feito com carne e gordura de porco, carne de aves (galinha, peru), pão – ingrediente de grande importância, alho, azeite e condimentos.

Esse é o enchido (como os embutidos são chamados por lá) mais consumido e conhecido no país. Ela pode ser servida frita (essa foi a versão que comi!), assada no forno ou grelhada na brasa. É também utilizada como um ingrediente de cozidos ou feijoada.

Super cremosa por dentro, ela tem uma textura que lembra a do bolinho de bacalhau, mas com sabores completamente diferentes. Me surpreendeu muito, adorei! 🙂

Alheira de Mirandela

Região de origem: Trás os Montes e Alto Douro
Onde eu comi: Restaurante Escondidinho (Rua Passos Manuel, nº 144 – Porto)

Queijo Serra da Estrela

O Serra da Estrela é o queijo mais antigo de Portugal  – sua produção iniciou no século XII. Ele é feito com leite de ovelha e seu nome está reconhecido como DOP (Denominação de Origem Protegida) em todo o espaço Europeu.

A Serra da Estrela abrange um território de 3120 km², e possui 110 queijarias. Esse alimento histórico estruturou a vida social, hábitos e tradições de toda a população da região.

E o sabor? Ahhhhh… esse queijo é ma-ra-vi-lho-so! Você abre ele e ele já vem “derretido” por dentro! Já estou com saudades! ❤️ 

Queijo

Região de origem: Serra da Estrela – Centro
Onde comi: Comprei um queijo no mercado para devorar no Airbnb de Lisboa, e também comi como recheio do bolinho de bacalhau  – como contei nesse post.

Caldo Verde

Eu amo sopas e essa, em especial, é uma das minhas favoritas. Eu tenho um amigão que sempre faz pra mim! (O Vinícius, que escreveu esse post aqui pro blog, lembra?)

Então eu estava ansiosa para experimentar o icônico e clássico caldo verde português!

A sopa tem como ingredientes batata, couve, chouriço, azeite, alho e cebola, e tradicionalmente é preparada em uma panela de ferro, com a ajuda de uma colher de pau.

O resultado é um caldo leve de batatas mas com um forte perfume do embutido e com o tom esverdeado por conta das couves que são cortadas bem fininhas. É uma delíciaaa! Louca pra que chegue o inverno por aqui pra comer muito Caldo Verde! 😋

Caldo Verde

Regiões de origem: Norte de Portugal, entre Douro e Minho
Onde eu comi: Cervejaria Brasão (Rua de Ramalho Ortigão, nº 28 – Porto)

Arroz de Marisco

Prato tradicional da gastronomia portuguesa, o Arroz de Marisco foi criado na Praia de Vieira de Leiria, na região da Marinha Grande. A cidade se tornou um ponto turístico gastronômico por conta de sua invenção – que passou a ser replicada em diversos pontos de Portugal.

O prato é servido diretamente em um tacho de barro ou panela de alumínio, e chega na mesa ainda fervilhando. Frutos do mar como camarões, lagosta, peixe, amêijoas e mexilhões conferem-lhe um sabor único de mar!

Quando estive lá, comi três vezes o Arroz de Marisco, de tanto que gostei! Ah, e para a minha felicidade, quase sempre ela vinha temperada com a minha erva favorita: coentro!

Arroz de mariscos

Região de origem: Praia de Vieira de Leiria, região da Marinha Grande
Onde comi (o que mais gostei): Uma Marisqueira (Endereço: Rua dos Sapateiros, nº 177 – Lisboa)

Sardinha Assada

Assim como o Arroz de Marisco, a Sardinha Assada é um prato oriundo da forte tradição de pesca do país. Esse é um dos maiores clássicos da cozinha portuguesa!

Você já ouviu falar na frase “Puxar a brasa à nossa sardinha”? Esse ditado popular vem do próprio preparo do prato – colocando o peixe na grelha para assar no calor do carvão. (Aqui no Rio Grande do Sul a expressão foi levemente alterada, trocando “sardinha” por “assado”. Terra de churrasqueiro é assim! 😉)

Vocês me veem elogiando bastante os pratos por aqui, né? Mas agora eu preciso confessar uma coisa. Eu não gostei da Sardinha Assada.

Eu já tinha comido aqui no Brasil e não tinha gostado, mas achei que em Portugal elas me ganhariam. Mas não adianta, não me agradou. Principalmente pela função das espinhas – elas são muuuito espinhentas. Acho que o trabalho todo não vale a pena, sabe? Para mim, existem outros peixes mais fáceis de comer  – e também mais saborosos.

Espero que se algum português ler esse trecho, não me odeie. É apenas a minha opinião, que eu preciso transmitir aqui. Acho que, ainda assim, todo mundo tem que provar para tirar as suas próprias conclusões. Afinal, se o peixe foi escolhido como uma das 7 Maravilhas, é porque muuuuita gente aprecia.

Sardinha

Regiões de origem: Lisboa e Setúbal
Onde eu comi: Restaurante Escondidinho (Rua Passos Manuel, nº 144 – Porto)

Leitão da Bairrada

Esse foi o segundo prato que nos fez alterar a rota de viagem (falei sobre o primeiro nesse post). Desviamos um pouco o trajeto para irmos até a cidade de Mealhada experimentar o verdadeiro Leitão da Bairrada.

O leitão é assado por cerca de 2 horas em forno à lenha, depois é cortado em pequenos pedaços, e servido com a pele crocante virada para cima. Atualmente, são servidos cerca de três mil leitões diariamente na região – o prato realmente virou uma atração turística do país.

A carne é muito macia e a pele é extremamente crocante. Onde comi, ele foi servido um molho de alho delicioso. Mudanças de rota sempre valem a pena quando o objetivo é comer bem! 🙂

53

Região de origem: Beira Litoral (Pra deixar mais claro o que falei ali em cima: Mealhada é a cidade, Bairrada é a sub-região, Beira Litoral é a região.)
Onde comi: Rei dos Leitões (Avenida Restauração, nº 17 – Mealhada)

Pastel de Belém

Na minha opinião, o doce mais tradicional e imperdível de Portugal é o Pastel de Nata. A “panelinha” quentinha de massa folhada recheada com creme de ovos é a cara da confeitaria portuguesa. Mas toda essa cultura e tradição envolvendo o Pastel de Nata se deve ao Pastel de Belém original!

O verdadeiro Pastel de Belém só pode ser degustado na Fábrica dos Pastéis de Belém de Lisboa, próxima ao Mosteiro dos Jerónimos, onde o doce foi criado. A produção dos pastéis começou em 1837 e a receita é a mesma até os dias de hoje.

Como a demanda é grande, eles estão sempre quentinhos, estalando crocância! Amei demais!

Ah, não deixe de comer por conta da possível fila, ela anda beeeem rápido! 😉

Pastel de Belem

Região de origem: Lisboa
Onde comi: Fábrica dos Pasteis de Belém (Rua de Belém, nº 84 – Lisboa)

 

Eu não canso de lembrar de todas as delícias que comi em Portugal! ❤️ 

Me conta: que comida portuguesa mais te dá água na boca?

 

Para acompanhar minhas viagens e experiências em tempo real, siga o meu perfil no Instagram e curta a minha página no Facebook. 😉

Deixe seu comentário! :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.