Chapada dos Veadeiros, Destinos no Brasil, Gastronomia
Deixe um comentário

Chapada dos Veadeiros: onde comer bem em Alto Paraíso

Depois de passar o dia percorrendo a exuberante natureza da Chapada dos Veadeiros em atividades que envolvem trilhas, cachoeiras, formações rochosas e piscinas naturais,  o fim da tarde é hora de recuperar as energias e relaxar.

Já que os turistas costumam levar lanches para os passeios – que, em sua grande maioria, duram o dia inteiro -, o principal sistema usado para refeições em Veadeiros é o famoso “almojanta”, o almoço tardio, próximo ao jantar, no retorno à cidade.

No centro de Alto Paraíso de Goiás, a cidade em que ficamos hospedados, os estabelecimentos são bastante diversificados e surpreendem no sabor, oferecendo receitas que combinam ingredientes do cerrado.

Por lá, você vai encontrar restaurantes e bares com ambientes despojados, mas muito aconchegantes e animados, geralmente com músicos locais se apresentando. Para os veganos e vegetarianos, também existem diversas opções de lugares que trabalham exclusivamente com esse tipo de culinária.

Veja abaixo os lugares onde comemos (e recomendamos!):

Rancho do Waldomiro

Quem chega à Chapada e deseja começar com uma boa experiência em comida regional não pode deixar de ir ao rústico Rancho do Waldomiro. Lá é servida a saborosíssima matula!

25

Rancho do Waldomiro

Boa para recuperar as energias depois de uma trilha cansativa, a matula é uma comida pesada! Também chamado de “feijoada do cerrado”, esse era o prato que os tropeiros levavam em suas marmitas. Você provavelmente vai sair de lá passando meio mal de tanto comer. É bom demais!

A matula é feita com feijão branco ou mulatinho em forma de tutu (feijão mexido), misturado com carne de sol, linguiça caseira, carne de lata (carne de boi frita e conservada em banha de porco) e lombinho – todos cozidos lentamente e depois desfiados. Tudo muito bem temperadinho, servido na folha de bananeira.

matula

Além disso, são servidos como acompanhamentos: carne de lata, paçoca (farofa) de carne seca, mandioca frita, abóbora cozida, arroz e tomate. 

Para os vegetarianos, existe uma versão da matula sem carne.

24

Matula completa

Você pode pedir o prato feito (R$ 30), que vem um pouquinho de tudo em um prato, ou a matula completa (R$ 40 por pessoa), com todos os pratos servidos na mesa, podendo ser repetidos. Gostamos tanto que fomos duas vezes lá.

Ah, não deixe de experimentar a produção da casa de licores orgânicos, de sabores como jenipapo, buriti, açaí, cupuaçu e pequi. No fundo do restaurante, tem uma mesinha com degustação e venda das bebidas.

Endereço: Estrada para São Jorge, Km 19 – Alto Paraíso

Vendinha 1961

Já aqui o ambiente é mais moderninho. Na noite que fomos, um sábado de Carnaval, o local era animado com música ao vivo. Chegamos a poucos minutos de lotar e pegar fila de espera, que se estendeu até a hora que fomos embora (nem tente entrar em contato, a casa não trabalha com reserva de mesas).

O cardápio é repleto de opções de petiscos feitos com ingredientes regionais e cervejas locais, mas o carro-chefe da casa é o pastel. Escolhemos um de frango com queijo e pequi e estava delicioso, com bastante recheio.

26

Pastel de frango com pequi

Pedimos também a porção de carne de sol com macaxeira (aipim, né gente), que pode ser frita, cozida, ou meio a meio. Bom demais!

27

Carne de sol e macaxeira

Mas a verdade precisa ser dita: demorou muuuitooo. Tipo, quase DUAS HORAS. Mas ok, era Carnaval, a casa estava realmente lotadinha e veio tudo muito gostoso. A gente dá uma trégua.

Endereço: Av. Ary Valadão Filho, 787.

Restaurante Baroque

Um restaurante pequeno, estilo “bistrô”, com um cardápio variado: hambúrguer, ceviches, petiscos, massas artesanais e filés. Comida bem temperadinha e saborosa, mas o ponto alto do local foi o atendimento que nos foi dado pela simpática proprietária e pelo garçom!

De entradinha, pedimos batatas assadas com carne de sol, super crocantes. Elas vieram acompanhadas de uma maionese muito gostosa.

28

Batata assada com carne de sol e queijo

Depois, um talharim artesanal com molho ao sugo e filé. Carne no ponto certo, com um molho bem temperadinho (gostoso, mas nada demais também).

29

Talharim ao sugo e filé

Endereço: Avenida Engenheiro Ary R. Valadão Filho, quadra 14.

Pizzaria Vila Chamego

Um local muito gostoso para curtir a noite, com mesinhas à luz de velas no jardim e música ao vivo em alguns dias da semana.

No cardápio, pizzas com sabores clássicos e outros mais diferentes e criativos, feitas com uma massa bem fininha e assadas na pedra.

31

Para acompanhar a pizza, pedimos uma cerveja produzida na região feita com castanha de baru, oleaginosa produzida no cerrado que se assemelha ao amendoim no sabor. Bem boa!

30

Cerveja de castanha de baru

Endereço: Rua Coleto Paulino, Qd 36, lote 12

BÔNUS: Vó Belmira Pamonharia

Na rodovia de Brasília a Alto Paraíso de Goiás, as placas na estrada chamam a sua atenção: de tempos em tempos, você é convidado a conhecer as pamonhas da Vó Belmira. Eu, que amo pamonha e sou bem sugestionável, passei o caminho inteiro babando pra saber se elas eram boas mesmo.

20

A casa oferece pamonha de diversos sabores, curau, empadão goiano, suco de milho, caldos e até acarajé. Pedimos uma pamonha com pequi. Eu e o Vini somos apaixonados por pequi, então adoramos, mas pra quem não é muito acostumado com a fruta pode estranhar, pois o gosto estava bem presente.

23

A pamonha é enorme!

Endereço: BR 020, KM 16 (mas não se preocupe, são muitas placas pelo caminho chamando você!)

Você foi em algum restaurante delicia na região da Chapada dos Veadeiros que ficou faltando nessa lista? Comenta aqui em baixo! 😉

Para ver o nosso roteiro completo em Veadeiros, clica aqui.

Posts relacionados

Deixe seu comentário! :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.